Diário de um Genealogista Amador #2

Neste mês de novembro, as pesquisas genealógicas das famílias Militani e Vilas Boas de Nepomuceno-MG completam um ano. A caminhada tem sido lenta, mas os passos são firmes e constantes, sempre buscando a ajuda de familiares, dos mais distantes aos mais próximos.

Estruturar a árvore, com o auxílio do Family Tree Builder do My Heritage, nem chega a ser uma tarefa difícil, sendo que o software possui as mais variadas ferramentas. Complicado e demorado é conseguir entrar em contato com as pessoas e cobrar as informações: nomes completos, datas de nascimento, casamento e falecimento e seus respectivos locais. Com parentes esparramados pelos quatro cantos do país, a tarefa é feita quase toda pela internet.

 Até o momento, o organograma genealógico conta com mais de 500 pessoas, das quais apenas 216 possuem cadastro completo com datas e localizações. A idéia inicial era ser o mais abrangente possível, mas o número de parentes, após um cálculo rápido, parece extrapolar a casa dos 4 mil. Sendo assim, a árvore será limitada, pelo menos inicialmente, apenas aos descendentes de José Militani e Pedro Ezequiel de Souza (meus bisavôs paternos), e Manoel Correia Villas Boas (meu bisavô materno), ou seja, um acréscimo de, aproximadamente, mais 500 pessoas, totalizando cerca de mil familiares.

 Será feito da seguinte forma:

 A árvore tem como eixo central a minha própria pessoa (e, conseqüentemente, a do meu irmão) e começa a se alastrar para ambos os lados de minha família, subindo e ramificando entre os Militani e os Vilas Boas, chegando, até o presente momento, uma geração abaixo da minha e quatro acima.

Do lado Vilas Boas, os ramos terão início em meus dois casais de trisavós: José Joaquim Villasboas e Joana Maria das Dores Villasboas e Antônio Botelho de Siqueira e Maria Izabel de Oliveira, pais, respectivamente, dos meus bisavós maternos Manoel Correia Villas Boas (o Seu Neca/Nequinha) e Maria do Carmo Villas Boas (a Dona Carminha). Entretanto, apesar de apresentar também os irmãos de cada um dos meus bisavós, a árvore continuará os ramos apenas com os descendentes destes últimos, Seu Neca e Dona Carminha, apresentando seus 15 filhos, 53 netos, mais de 100 bisnetos e um número ainda não totalmente estimado de trisnetos (apesar de serem bem poucos), o que totalizaria, até o momento, seis gerações.

 Dessa forma, por motivos práticos, deixo de citar a família de minha avó materna, os Salgado, mostrando apenas sua ascendência direta, que também terá início em meus trisavós. Essa idéia pode mudar durante o percurso de construção, mas, por enquanto, é a que fica.

 O mesmo não se dará com os Militani, por terem um número menor de integrantes. Deste lado da família, a árvore também abrangerá parte da família de minha avó paterna e não somente do meu avô. Sendo assim, a árvore terá início com meus quatro casais de trisavós paternos e focará nas descendências dos meus dois casais de bisavós:

 – José Militani (o Zé Italiano) e Maria das Dores Militani, que tiveram 9 filhos, 19 netos e cerca de 20 bisnetos até o momento; e

 – Pedro Ezequiel de Souza e Maria Delfina de Jesus, que tiveram 6 filhos e um número ainda não estimado de netos, bisnetos e demais descendentes.

 Isso também totalizaria 6 gerações, mas de duas famílias distintas, diferente dos Vilas Boas.

 A jornada ainda não chegou à metade. Há muito ainda por pesquisar e por fazer e o prazer em conhecer pessoas novas ou matar a saudade de velhos parentes só aumenta ainda mais a satisfação de continuar com esta empreitada! “A reverência ao passado garante nosso futuro” (Goethe)

O que é apresentado abaixo são apenas alguns exemplos inacabados da Árvore Genealógica, em escala bem menor que a original.

Nesta primeira figura, vê-se parte do que seria a árvore dos Vilas Boas, encabeçada, ao centro, por José Joaquim Villasboas e Joana Maria das Dores Villasboas e Antônio Botelho de Siqueira e Maria Izabel de Oliveira, seguidos de seus respectivos filhos na segunda linha. A partir da terceira linha, encontra-se a descendência de Manoel Correia Villas Boas (o Seu Neca) e Maria do Carmo Villas Boas (Dona Carminha).

Já nesta segunda imagem, pode-se ver parte da família Militani, iniciada com Francisco Militani e Maria Cristela Militani, seguidos de seus filhos. Nas bordas, à direita e esquerda, estão alguns parentes distantes de ambos os lados, cujas famílias ainda vivem em Nepomuceno. E no centro estão todos os descendentes de José Militani e Maria das Dores Militani.

Nesta terceira, vê-se a união próxima de ambos os lados da minha família, tendo o casamento de meus pais (ao centro) como eixo principal. À esquerda os Militani e à direita os Vilas Boas.

Anúncios

32 respostas em “Diário de um Genealogista Amador #2

  1. ollá sou um vilas boas e gostaria de encontrar alguns parentes distantes também meu avô chamava joão vilas boas e meu bisavô domingos venâncio vilas boas seus familiares mais pertos são ali do sul de minas especialmente poços de caldas seria um prazer descobrir outros parentes distantes dessa familia especial uma abraço

    Curtir

  2. Ola, meu nome é Rovilson Vilas Boas, moro no interior de são paulo em Jaboticabal gostei muito do seu diário estou a procura de saber mais sobre meu sobre nome e parentesco. Meus avós se chamavam João Batista Vilas Boas e Benedita Vilas Boas, tenho vários primos mas oque me lembro vagamente é Marcos Vilas Boas que mora ou morava em Poços de Caldas.sera que vc pode me ajudar?

    Curtir

    • Olá, Rovilson!

      A árvore dos Vilas Boas (ou Villas Boas, Villas Bôas, Villas-Boas, Vilasboas, Vilas Bôas, Vilas-Boas etc) é gigantesca aqui no Brasil. Muitas vezes, morar perto não significa que façam parte de um mesmo ramo da árvore.

      Infelizmente desconheço os nomes que você citou. Precisaria de mais informações para poder lhe dar alguma resposta satisfatória. Sugiro que busque mais informações entre familiares próximos a você, isso facilitaria muito.

      Curtir

    • olá rovilson sou seu primo edson villas boas filho do seu tio josé villas boas de limeira o marcos villas boas e filho de sua tia maria dolores villas boas em poços voce ainda tem seu tio joaquim villas boas e sua prima vera villas boas tenho telefones deles e eles estavam procurando seu pai infelizmente descobri que ele faleceu pelo youtube atrabés de um video! e uma postagem no orkut!

      Curtir

    • Tios de José vitor villas boas, Joaquim venancio villas boas, maria dolores villas boas e tereza villas boas: todos oriundos de Botelhos mg (trabalhavam para o frigorifico Matarazzo)
      Joaquim, Bernardino, Zéca Bernardo, Pedro Bernardo, Maria, Ernestina, Barbina
      Por parte de mãe:
      Vó Teresa e vô não conhecido
      Tios:
      João que é o pai do tio Onofre (que é pai do rovilson vilas boas)
      Julio
      Emília

      A Ernestina teve um filho de nome Geraldo
      A Emília teve os seguintes filhos:
      José dos Reis, Maria, Geralda e Pedro

      O Zéca Bernardo teve os seguintes filhos:
      Pedro, João, Lazico, Quinzinho e Minguinho

      Espero ter ajudado!

      Curtir

      • MEU SOGRO, ANTONIO VILLAS BOAS É FILHO DE ORESTES VILLAS BOAS E GEMMA ALCIBELES VILLAS BOAS REM MORADORES DA CIDADE DE ADOLFO(JA SÃO FALESIDOS),QUE MEU SOGRO DIZ QUE ORESTES É FILHO DE JOAQUIM VENACIO VILLAS BOAS A REFERENCIA QUE ELE TEM É QUE ELES ERAM DE MINAS GERAIS , FILHOS DE ORESTES SÃO, ALCIDES VILLAS BOAS(FALECIDO) MARIA DE LOURDES VILLAS BOAS (FALECIDA)EUCLIDES VILLAS BOAS(FALECIDO),IRACEMA VILLAS BOAS,NELSOM VILLAS BOAS ONDINA VILLAS BOAS, JANDIRA VILLAS BOAS(FALECIDA),GERALDO VILLAS BOAS(FALECIDO) E ALZIRA VILLAS BOAS( FALECIDA ), ESTE SÃO OS PATRIARCAS TODOS MORADORE DA REGIÃO DE SÃO JOSE DO RIO PRETO, E A MAIORIA MORADORES NA CIDADE DE ADOLFO REGIÃO DE RIO PRETO, GOSTARIA DE SABER SE SOMOS DA MESMA FAMILIA MEU SOGRO FALA MUITO DE UM TIO ZEQUINHA. MEU NOME CLARICE SILVA VILLAS BOAS MEU MARIDO ANTONIO CARLOS VILLAS BOAS FILHO DE ANTONIO VILLAS BOAS.ABRAÇOS A TODOS GOSTRIA DE TER CONTATO.

        Curtir

      • Olá Clarice! Meu pai já falecido, me contou que meu bisavô e seus irmãos eram da região de são josé do rio preto, Lidavam com gados! infelizmente preciso levantar dados e nomes!

        até mais

        Curtir

      • Olá, me chamo Andrea Aparecida Vilas Carvalho, sou filha de Pedro Roberto Bernardes Vilas Boas e Cecilia reis Vilas Boas, meu pai e filho de Pedro Bernardes Vilas Boas, que é filho do meu bisavô Zeca Bernardo, somos de Botelhos MG, espero ter ajudado.

        Curtir

  3. Olá, Edson! Se o Rovilson não aparecer aqui, não vai ver sua mensagem. Vou entrar em contato pelo e-mail que ele deixou no cadastro e perguntar se posso passar a você o contato dele.
    Será um prazer ajudar!
    Abraços!

    Curtir

  4. Oi tudo bem? Gostaria que pudesse me ajudar, por que estou a procura de meus parentes,e minha família atualmente são só minha mãe e os filhos, tios e primos nós não conhecemos e gostaria de poder ter conhecidos, mas quando minha mãe e minha avô saíram de onde moravam que era Morro Redondo-Piaui, houve um acidente no caminha e o irmão da minha mãe faleceu, mas havia ficado na cidade uma irmã da minha mãe que se chama Maria Nilda de Moraes, ela casou e teve filhos mas não conhecemos, minha mãe se chama Maria Emília Rodrigues de Oliveira, minha avó Maria Angélica Rodrigues de Oliveira que faleceu, minha mãe tinha conseguido fala com uma tia que chamava Mariquinha casada com Clarimoldo Ramalho e tiveram 3 filhos que são; Aluísio, Antonio, Janete e Maria Estela Ramalho, mas ja faz um bom tempo que perderam contato e eu estou ansiosa pra conseguir encontrar meus familiares.
    Atenciosamente.
    Obrigada.

    Curtir

  5. Gostaria de saber informações sobre a família vilas boas em Recife. Sou Alexandre Ramari vilas boas Barbosa da Silva. Meu vilas boas vem do meu avô materno Mário de Oliveira Vilas Boas.

    Curtir

  6. Gostaria de saber informações sobre a família vilas boas em Recife. Sou Alexandre Ramari vilas boas Barbosa da Silva. Meu vilas boas vem do meu avô materno Mário de Oliveira Vilas Boas.

    Curtir

  7. Meus tataravós JOSE BERNARDES VILLAS-BÔAS e BÁRBARA GENEROSA PEREIRA VILLAS-BÔAS éram de Campanha no Sul de Minas Gerais. Vindo naquela época para Botucatu-SP e expandiu-se para Santa Cruz do Rio Pardo e Pirajú. Tiveram vários filhos: ERNESTO BERNARDES VILLAS-BÔAS, JOSÉ BERNARDES VILLAS-BÔAS JÚNIOR- (Avô dos Sertanistas e Indigenista ORLANDO VILLAS-BÔAS, CLÁUDIO e LEONARDO V.BÔAS),CÂNDIDO BERNARDES VILLAS-BÔAS- Capitão Cândido, IGNEZ OLIMPIA VILLAS-BÔAS, MARIA BÁRBARA V.BÔAS, JOAQUIM BERNARDES VILLAS-BÔAS e ANA entre outros.

    Curtir

  8. Boa noite! Meu sobrenome é Vilasbôas, porém, de todos os irmãos, apenas meu avô é uma irmã tem o sobrenome. Mãe e pai não possuem o mesmo sobrenome. Isso nos encabula muito!! São da zona da mata mineira (Goianá – MG). Seria muito muito muito difícil encontrar alguma relação com ele?

    Curtir

      • Eu escrevi como se você soubesse da história. Desculpe.
        Então, tudo aponta que meu avô e a irmã dele são filhos de algum Vilasbôas, ou, herdaram, por algum motivo, o sobrenome de alguém. Porque a mãe e o pai deles não tem o sobrenome e nenhum dos irmãos, sobretudo, gostaria de saber se pela época de nascimento, e local (Goianá -mg é relativamente pequeno) há chances de ao menos encontrarmos alguém que tenha o mesmo sobrenome, e assim, descobrir esse dramalhão mexicano…

        Curtir

      • Provavelmente não possuem relação nenhuma com a minha família. O nome Vilas Boas (e seus derivados) é gigantesco em quantidade. Apesar de terem o mesmo sobrenome, muitas famílias não possuem relação alguma uma com a outra.
        Mas se você quiser saber a origem do nome do seu avô, o melhor a fazer é pesquisar em cartórios e igrejas. Não era comum, no século XIX, os filhos terem o mesmo sobrenome dos pais. Em muitos casos, os sobrenomes eram homenagens a parentes, amigos, padrinhos etc.
        Um pai que chamasse João da Silva Ferreira Souza, poderia batizar seu filho de José de Jesus, sem nenhum outro sobrenome. Era uma bagunça. haha
        Então, o melhor a fazer, no seu caso, é procurar registros de nascimento em cartórios ou livros de batismo em igrejas. Na pior das hipóteses, você pode ir ao Arquivo da Comarca de Vila Rica, sob os cuidados do IPHAN. Acredito que os arquivos da Comarca fiquem em Ouro Preto.
        Até meados do século XIX, Minas era dividida em cinco Comarcas (Paracatú, Serro Frio, Sabará, Vila Rico e Rio das Mortes). Cada comarca possuía seu arquivo de registros (os papéis de cartórios da época). Hoje esses arquivos ficam sob os cuidados do IPHAN e são abertos gratuitamente à pesquisa pública.

        Curtir

  9. Olá Boa tarde. Meu avô e filho de António Cândido Villas boas e Ana Costa. Tbm é mg Nepomuceno. Estou querendo saber mais sobre a familia dele e poder entrar em contado

    Curtir

    • Tem certeza que são de Nepomuceno? Os Vilas Boas daqui formam praticamente um única família, gigantesca, mas ainda assim de uma mesma ascendência. E esses nomes eu não conheço.
      Talvez eles sejam de São João Nepomuceno, na Zona da Mata de Minas. Minha cidade, Nepomuceno, fica no Sul de Minas.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s